Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2013

Preguiça mental

Analisando a luz de lâmpadas as outras culturas seus avanços, suas ideologias e, principalmente, o ímpeto com que assume cada membro da sociedade as causas coletivas torna-se inevitável não voltar os olhos para dentro. Torna-se dramática a intuspecção e a certeza de que demoraremos mais 500 anos para sermos uma nação completa (isto é, se houver recursos até lá). Ou seja, se novos generais de direita ou presidentes populistas não nos entregar de bandeja a sistemas autóctones. Mas como isso é possível?  Simples! A manutenção da ignorância de um povo é o pedestal do poder e da exploração deste! Isso é fato aqui e ali! Ouvia, certa vez, uma conversa entre dois jovens sobre o conhecimento que haviam adquirido sobre a língua portuguesa. O primeiro parecia escorreito em suas colocações, o segundo tendia a desculpas espalhafatosas para justificar seu insuficiente conhecimento linguístico diante de sua idade. Entenda o diálogo: Pedro – É preciso ler entender as proposições de cada parágrafo p…

As hienas do Brasil

O Brasil tem um grupo enorme de pessoas viciadas em corrupção, por que será? Seria a leniência do Estado? Seria o despreparo? Seria egoísmo? Tudo isso faz parte sim, mas existe outro fator esquecido: as instituições de ensino e as famílias não mostram aos "seus" que existe o lado humano a ser desenvolvido, não apenas o desenvolvimento de habilidades impregnadas de competição pautados na gana capitalista. A escola de ontem e de hoje formou e forma pessoas para se superarem em termos econômicos. Semana a semana a mídia nos traz denúncias e mais denúncias sobre os ataques aos cofres públicos por sujeitos de todos os níveis sociais e cargos diversos. Noventa por cento dos casos são prescritos provocando o eterno ciclo da corrupção.  Outra situação calamitosa trata dos atentados contra a vida. Dados de jornais do ano de 2011 apontam que apenas cinco por cento dos homicídios são solucionados. Normalmente solucionam rapidamente os que ganham visibilidade internacional, aq…

Entenda o Capitalismo*

CAPITALISMO IDEAL - O sujeito tem duas vacas. Vende uma e compra um touro. Eles se multiplicam e a economia cresce. Vende o rebanho e aposenta-se rico!


CAPITALISMO AMERICANO - O sujeito tem duas vacas. Vende uma e força a outra a produzir o leite de quatro vacas. Fica surpreso quando esta morre.
CAPITALISMO JAPONÊS - O carinha tem duas vacas. Redesenha-as para que tenham um décimo do tamanho de uma vaca normal e produzam leite 20 vezes mais que as normais. Depois cria desenhinhos de vacas chamados "vaquimon" e os vende para o mundo inteiro.


CAPITALISMO BRITÂNICO - O sujeito tem duas vacas. As duas são loucas.

CAPITALISMO ALEMÃO - Hans tem duas vacas (acho que todo alemão se chama Hans, nada pessoal). Elas produzem leite regularmente seguindo rigorosos padrões de qualidade: quantidade e horário previamente estabelecido de forma precisa e lucrativa. Mas o que queria, de fato, era criar porcos.

CAPITALISMO RUSSO - O sujeito, ainda não revolucionário, tem duas vacas. Conta-as e v…

Os burgos de São Paulo

Os ricos de São de Paulo estão protegidos dos pobres por Lei municipal. Ou seja, a prefeitura proibiu a construção de habitações populares em "áreas nobres". Tal Lei também diz que áreas protegidas (como as de mananciais) podem ser destinadas as estas modalidades habitacionais.
O Estado burguês é sutil e grotesco!
Além da soberba lei, outro fato que chama a atenção é que este prefeito (o executivo) é do partido popular.
Em breve o pobre de São Paulo terá de morar noutro município!
São Paulo está quase pronto para assumir sua condição de satélite americano. As esdrúxulas elites de todo Brasil já pagou pelo menos 18 salários mínimos num metro quadrado por lá e o Estado (na voz do prefeito) tem de protege-los!
Teria Fernando Haddad (prefeito) feito isso para agradar Maluf? O eterno procurado da Interpol e deputado federal pelas bênçãos do povo!!

É estranho, pois isso contrária os princípios de igualdade pregado por lula molusco (o falso socialista). Ah, mas ele não é mais um …