Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2016

O Brasil no fundo do poço

O Brasil não é bem um país, uma nação como aquelas que vemos na TV. É apenas um "esforço de ser". Um teatro mambembe. Um ajuntamento de ladrões que se revezam no poder para burlar o povo (analfabeto funcional) formando o que podemos classificar como teatrocracia constantemente agravadas por sua sanha draconiana.
Na verdade o povo brasileiro nunca saiu do "fundo do poço". Breves alentos de cultura, de esporte nos faziam sentirmos civilizados também. Mas foi o tempo!
A música de qualidade deu lugar ao barulho esdrúxulo nascido da anencefalia das favelas com o apoio da toda poderosa TV oficiosa. A política NUNCA teve méritos (salvo um ou outro personagem eleito como Salvador da Pátria).
Os grandes nomes da Cultura foram obliterados pelo ordinário e de fácil absorção.
O Estado brasileiro é um aleijão sociológico: metade do plenário envolvido em negociatas; empresas de todos os tamanhos suspeitas de corromper agentes públicos que se permitem; a economia um caos benefi…

Vai dar Brasil!

O Brasil é uma tentativa constante de parecer uma nação real, mas seu esforço paira num limbo que lembra obras teatrais ou seriados esdrúxulos da TV americana.
Enquanto o mundo explode: 
Redução do investimento na educação e na saúde para pagar juros altos aos credores. Alunos fingem que aprendem, professores fingem que ensinam. No entanto o traficante se fortalece na esquina do bar próximo a faculdade ou em campos ermos das cidades universitárias. Liberdade aos "manos", pois não há lugar para tantos presidiários. Tornozeleiras eletrônicas estão na moda no Brasil da elite.
Cartilha sexual para crianças de 10 anos banalizarem o sexo e naturalizarem suas formas e lugares.
Foro privilegiado para quem tem dinheiro, foro privilegiado para políticos que se entendem como Reis de suas comunidades. Bolsa família para quem só fez filhos a vida toda...
Além dos constrangimentos que causam a todos diuturnamente com suas poses de heróis do dia ou sua arrogância sustenta a farsa sociológ…