Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2016

Elas

Rir resplandecia o breu,
Eis dia.
Zígoma, sublime traço seu;
Conduzia:
Verbos setentrionais, sou Lieu;
Refletia!
Abóbada em riste, solidéu;
Aprazia...
Verve singela, um ateu.
Me'esvazia!

Algaravia e descontrole

Produção industrial, alimentícia, ideológica: Produção de lixo.
Fibonacci!
Produção humana, tecnológica, capitalista,  construções, megatérios, pontes, poluição, ausência, trabalho, ganhar, acender, apagar. Veleidades!
Ir, voltar, ficar, partir. Evaporar! Poluir: destruir! Voar.
Mentir: sobreviver, sobretudo, sobrepor.
O homem promove a associação e dissociação da matéria a partir de si para ciclos que sustentam a subsistência de todos, a destruição do planeta e a felicidade de uns.
Ignóbeis!
Tomas R. Malthus não foi lembrado. Instintos e satisfação das necessidades fisiológicas dão o mote da modernidade. Apesar do horror de duas guerras mundiais e seu troco às nações os homens fazem filhos tal qual os ratos.
Automóveis, tanques de guerra e aviões servem para fins equivalentes quando seu estômago e seu prazer estão na berlinda. Não tem mais volta: o homem matou o planeta. Hoje vivemos de fantasias e cinzas. Em breve: das cinzas que sobrarão das fantasias.
O fogo não dá apenas a form…