Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2013

Vapores ideológicos II - a febre

A que ponto o atraso mental, que desde sempre, nos induz as religiões? Seja M, B, J, A nada fizeram além de prometer o utópico pautado em castigos apocalípticos ou recompensas oníricas.
Jim Jones, aiatolás, Reverendo Moon, Edir Macedo, todos os papas e tantos outros (ricaços) que se filiaram aos primeiros - o que fazem (ou fizeram) além de coibir a humanidade dos demais ou subtrair parte do fruto do trabalho de cada "um" tornando este "trabalho capitalizado" um naco de seus templos afortunados? Os elementos acima mudaram o mundo ou fizeram o mundo assim? Uma peta, uma patranha com gosto de "doce criança" para alguns e um inferno dantesco para outros. A febre é repassada de geração a geração, no entanto nada se pode fazer além de um espernear verborrágico, flébil e sem eco. Morrem as mulheres muçulmanas, morrem os mitos gregos (delineadores das sociedades ocidentais), morrem os aspectos folclóricos das nações, morrem as almas inquietas provocadoras…

Vapores ideológicos

Até na hora de protestar o brasileiro é estranho...
Isto é, não há evolução. Protestantes quebram o bem público (desinteligência). A força ordenada a "quebrar" os manifestantes (que logo passam a ser chamados de vândalos) não são menos bárbaros que as ações escritas na cartilha do "kismo". Tudo parece aquela novela estúpida no ar há 60 anos em horário nobre" (se é que isso existe).  A força é a vontade da "elite" quando esta precisa. Quando deixe estar...
 Uma sociedade não muda com ações de guetos - é preciso que a massa esteja na ebulição em concomitância. Caso não - não teremos mais nada além do classificado como abuso policial de um lado; depredações e feridos do outro.
 É preciso que cada um "desça de seu muro", que cada um diga de que lado está! Se do lado dos corruptores que mantém a população silenciosa diante de uma bolsa preguiça, professores mal pagos, escolas como pardieiros. É necessário apontar a direção para a política - caso …

Autoajuda: uma empresa milionária

A moda, há algum tempo, é vender livros de autoajuda ou lançar orações otimistas ao vento. Logo - não custa tanto - estas serão o alimento dos tolos que adoram frases feitas e bem acabadas, algo como se a vida fosse um bendito programa de televisão dominical: cheio de efeitos, luzes, ribaltas, dançarinas gaias, sorrisos plásticos e afins.    Em autoajuda não há nada diferente que em dizer:  2 + 2 = 4, no entanto alguns escrevinhadores desta modalidade empresarial   vão além e dizem que 2 + 2 é = 22 basta que você queira... Ou seja, como existem diversasformas de dizer o óbvio - a autoajuda sobrevive. Torna-se uma "fabriqueta de perfumes" do essencialismo natimorto do tomismo  - de odor símile tanto em evaporação quanto em preço.  O grande diferencial deste perfume é que ao invés de proteger o indivíduo por fora  - inverte-se criando-se um invólucro endógeno tal maneira que a armadura deste novo homem o engana - o faz acreditar em "qualquer verdade" desde que esta te…

Bom dia Brasil!

A farsa, a soberba, as patranhas e todo tipo de enganação é o "estado de direito" instituído por qualquer tipo de Estado governamental (ditadura, comunismo, democracia ou teocracia).
Em qualquer destes o homem é treinado para servir a algum "senhor". Se na ditadura seu senhor é o general facínora auto nomeado chefe de Estado; se no comunismo muda-se os termos não os modos e refinamentos de tortura; se na democracia extirpasse as torturas e dá-se ao homem um modelo de liberdade condicional cujo indivíduo embevecido de sua liberalidade umbilical não observa os lideres de seus país, pois tem sua liberdade para cuidar (...); se numa teocracia, nos dirão: óbvio, seu senhor é algum Deus escolhido pelo povo! Ledo engano. Na teocracia o deus do povo é apenas um instrumento judiciário e moral para execução de tal governo.   
Enquanto os vários poderes ideologizados por alguém nos moldam os dias, a ida e volta do trabalho para casa, para o shopping, ou a praia (como bovinos m…