Pular para o conteúdo principal

Casamento: infantilismo moderno

Não temos como fugir de si - esta é nossa única verdade ou talvez a mais concreta quando  olhamos para os conceitos e preconceitos cristalizados ao longo do tempo em nossa sociedade.
Religião, política, práticas esportivas, ideologias e a fins moldam nossa mente de forma a encararmos o dia tal como seja uma necessidade implícita a nossa vida.
Casamento, por exemplo, é uma dessas práxis nada moderna e sem possibilidade de fuga; de muito usada como arma social para manutenção de sociedades quasimodais - é um destes elementos de condicionamento das pessoas em suas classes: o casamento é estamental.
Ditados populares como: "o homem nasce, cresce fica burro e casa" é apenas uma simplificação de verdades como: o homem (ou a mulher) precisa casar-se para render mão de obra ao estado, multiplicar a divina família e prover o comércio (das igrejas, do cartório, das lojas das noivas, dos pacotes de viagens, de um imóvel - que custará sua vida trabalho - e de todas as farsas seguintes).
O casamento e manutenção da família é a primeira farsa que precisamos acreditar para que o Estado manipulado pela elite que, por sua vez, tem seus casamentos arranjados não por motivos equivalentes aos do povo (uma mentira vendida nas novelas chamada amor) continuamente recontada.
A partir disso poderíamos  desmoronar a instituição casamento, porém como é uma causa perdida (em todos os sentidos) não compensa gastar a paciência com isso. Todo sujeito tem e quer pagar para ver... Verás que casar é nada mais que uma busca biológica de realização e este só durará se ambos buscarem tais caminhos, então casamento nos parece mais com acasalamento que um protocolo socialmente bem visto. O pagar para ver esconde a necessidade animalesca que tentamos negar através de motivos morais e protocolares que são sucumbidos pelo vexame que nos é exposto sua amostras.
Entenda o vínculo do casamento com o trabalho e desmistifique todas as práxis sociais a que estamos submetidos...

https://www.youtube.com/watch?v=wd7gf2D9koU&feature=em-subs_digest

Comentários

  1. Sua cara esse texto! Posso dizer aqui o que acho? kkkk...Muito bom, é vc explícito. Boa sorte com o blog. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não me contenho, me exponho, estou sempre em ebulição.

      Obrigado por suas considerações! São sempre bem vindas!

      Excluir
  2. Percebi que no casamento moderno, além do maniqueísmo embutido, mas jamais lembrado, existe também o que vem após desequilíbrio natural das relações: o jogo de poder, os descaminhos, a estagnação e o comodismo, - fatores de manutenção do eterno desgaste... Então tanto o homem quanto a mulher estão destinados a minar a paciência um do outro (quando não seus pertences), de quebra o filhos para derrubar o que sobrou deste homem ou desta mulher...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Cabelo ao vento

Que passas... (?)
                    Ao luar;
Quais sinas... (?)
                    Hão aquietar;
Que mares... (?)
                   Há de singrar;
Dos amores!
                   Feliz, amainar;
Da sagacidade...
                   Intuspecta cor – relumar;
Do cabelo a brisa...
                   Sibilista olhar;
Por Febe semp’ terna
                   Há d' estar.


Vulnerant omnes, ultima necat

Esta inscrição (título) em Latim (como outras tantas) encerra um caráter excessivamente preciso sobre a vida ou sobre nossas ações e o modo como "não" percebemos o mundo.

Talvez possa induzir fracos pensarem que nada valha fazer porque a ordem de tudo é um fado... Mas o que pensam sobre tal frase os que não se importam com os demais?

Não percebem que caminhamos todos para um nada comum! Homicida não é somente aquele sujeito que tira a vida do outro, mas todos aqueles que impõem suas veleidades sobre os demais para vantagem pessoal.

Qual a diferença de falastrões, profetas, marqueteiros, palestrantes e políticos? Nenhuma...


Em equivalência não atentam para os ponteiros da vida e não entendem o significado dos dias em que "vulnerant omnes, ultima necat*. Que sim, algumas de suas verdades não valem um quinto do que lhe é dado. Que tantas outras que tornariam a vida de "muitos" melhor é deixada de lado... Porém cada um olha apenas para sua marcha como se fosse a mai…

Urbanização de São Paulo: Chicago ou Paris?

Em 1878 fundou-se em São Paulo o primeiro sistema de abastecimento de água a Companhia de água e esgoto Cantareira. São Paulo já estava em ebulição, era o destino preferido dos cafeicultores interioranos, também dos imigrantes europeus. 
O processo de urbanização paulistana é uma síntese de contradição copista: os primeiros barros criados para elite indicava europeização da cidade (Campos Elísios, Indianópolis e o próprio Higienópolis que remete a questão da limpeza racial) para clarificar nossa proposição de copistas às avessas havemos de lembrar que diferente do que fizeram os europeus com seus rios São Paulo os matou ou fez com que sumissem embaixo do asfalto (caso Tamanduateí e do riacho Anhangabaú – o primeiro canalizado vergonhosamente sujo e poluído, o segundo sumido da Avenida 9 de julho). Em 1912 inicia-se a canalização do Tamanduateí juntamente com um projeto de aterramento das várzeas deste e do Anhangabaú. Este foi é o primeiro episódio que marca o desastrado urbanismo paul…