Pular para o conteúdo principal

Black blocs para quê?

Ações parvas e sem coordenação do Black Blocs farão com que as manifestações percam sua legitimidade. A manada (mascarada) não sabe o caminho (isso não pode ser confundido com anarquia)!
Os resultados esperados:
O Estado reagirá com violência igual ou maior; a população calará; os mascarados responderão até pelos crimes que não cometeram. Tudo ficará como está: corruptos a solta, a elite faturando alto, o pobre recebendo a bolsa subsistência, o Estado comandando o teatro constitucional, o judiciário atrasado em 20 anos, o funcionalismo público ávido pela eterna sinecura, a população a parte do seu poder, os jovens rotundos em sua gana de mudar o imutável, as crianças sonhando com os super-heróis fabricados pela TV ou cinema, outra parte da população apta perambular neste mundo para viver eternamente noutro póstumo, os velhos compreendendo o incompreensível, etc.,. Nada mudará com tirania tupiniquim do Black Blocs.

O antídoto capaz de mudar uma sociedade deve ser retirado da própria, não de fora, nem imputada com violência.
Este movimento jamais será ouvido, assim como nunca foram levados a sério outros movimentos crassos (Sendero Luminoso, FARCS,Taleban, etc., não que o Black Blocs tenha essa magnitude, mas se não repensado pode ser tão inútil quanto).
Dizem querer ser ouvidos. Serão apenas pelas delegacias quando capturados!
A mídia erroneamente os chamam de anarquistas, porém os pressupostos proudhonianos não competem com que se entende por anarquia hoje, menos ainda com as ações deste grupo.
A matéria tem valor simbólico e substituível no capitalismo de nada adianta destruir. A mudança só vira com a destruição das raízes do apego a gana; da sede de poder, de domínio e outros vícios mais. Ou seja, nunca! Pois no homem o egoísmo é algo nato.
Em síntese, o Black Blocs é uma fagulha que nasceu apagada. Um tanto similar a um feto acéfalo: seu tempo de vida depende da vontade da estrutura maior. Em toda sua existência - este movimento como age atualmente - não passará de um embrião anencéfalo, quando muito.  


http://www.estadao.com.br/noticias/geral,violencia-em-atos-em-sp-ofusca-movimentos-pacificos,1092795,0.htm

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vulnerant omnes, ultima necat

Esta inscrição (título) em Latim (como outras tantas) encerra um caráter excessivamente preciso sobre a vida ou sobre nossas ações e o modo como "não" percebemos o mundo.

Talvez possa induzir fracos pensarem que nada valha fazer porque a ordem de tudo é um fado... Mas o que pensam sobre tal frase os que não se importam com os demais?

Não percebem que caminhamos todos para um nada comum! Homicida não é somente aquele sujeito que tira a vida do outro, mas todos aqueles que impõem suas veleidades sobre os demais para vantagem pessoal.

Qual a diferença de falastrões, profetas, marqueteiros, palestrantes e políticos? Nenhuma...


Em equivalência não atentam para os ponteiros da vida e não entendem o significado dos dias em que "vulnerant omnes, ultima necat*. Que sim, algumas de suas verdades não valem um quinto do que lhe é dado. Que tantas outras que tornariam a vida de "muitos" melhor é deixada de lado... Porém cada um olha apenas para sua marcha como se fosse a mai…

Sartre: o filósofo do nada e da decisão.

Entre as frases mais conhecidas de Sartre está a que diz que “o homem está condenado a ser livre”. Para este filosofo só o egoísmo nos explica. Não o egoísmo de Adam Smith, mas talvez se aproximasse do egoísmo hobesiano não houvesse uma distinção clara entre indivíduo e Estado respectivamente.
É através de uma necessidade egoísta que temos a obrigação de escolher “ou não” (que também é uma escolha, isto é, escolho não escolher). É ai que nasce sua certeza de que existe liberdade na ação do homem independente do seu tipo de escolha: se ação ou inação. Segundo seu pensamento o poder da decisão não é determinado pelas circunstâncias. Se assim fosse teríamos de imaginar que um mundo perfeito deveria existir com circunstancias estritamente agradáveis e imutáveis. Isso é impossível por ser um antimundo, um mundo da ideia, um mundo ilusório. Sua crítica existencialista o obriga a defender a inexistência do divino sobre o homem. Pensamento este que o aproxima de Feuerbach no sentido de dizer que…

Urbanização de São Paulo: Chicago ou Paris?

Em 1878 fundou-se em São Paulo o primeiro sistema de abastecimento de água a Companhia de água e esgoto Cantareira. São Paulo já estava em ebulição, era o destino preferido dos cafeicultores interioranos, também dos imigrantes europeus. 
O processo de urbanização paulistana é uma síntese de contradição copista: os primeiros barros criados para elite indicava europeização da cidade (Campos Elísios, Indianópolis e o próprio Higienópolis que remete a questão da limpeza racial) para clarificar nossa proposição de copistas às avessas havemos de lembrar que diferente do que fizeram os europeus com seus rios São Paulo os matou ou fez com que sumissem embaixo do asfalto (caso Tamanduateí e do riacho Anhangabaú – o primeiro canalizado vergonhosamente sujo e poluído, o segundo sumido da Avenida 9 de julho). Em 1912 inicia-se a canalização do Tamanduateí juntamente com um projeto de aterramento das várzeas deste e do Anhangabaú. Este foi é o primeiro episódio que marca o desastrado urbanismo paul…