Pular para o conteúdo principal

O Brasil está nu!

O Brasil vive mais um momento insólito qual não imaginamos que fim levará. Um momento interessante tivéssemos mais homens sérios no poder que os atuais chupins do Estado com seus afilhados bem colocados (um indício de que mudanças não ocorreram)!
Críticas e verdades a parte temos na imagem abaixo um Brasil com vontade de ser diferente:

                     
                                         Foto: Estado

Um Brasil que tanto falamos criticamente neste espaço há dois anos. Talvez devamos laurear coragem de Joaquim Barbosa (homem de origem humilde e hoje respeitado pelas pessoas que reconhecem valor na humanidade do outro). Quem sabe a Chico Mendes, José Claudio, Maria do Espírito Santo, que morreram acreditando em suas causas ou a milhares de humanos crônicos anônimos como você?!
Nossa afirmativa de que nada muda de repente, entre outras asserções, baseia-se nisso: pode uma instituição como a  FIFA divulgar sua irritação sobre as ações de um presidente qualquer? Pode se todos souberem que este é um fantoche alocada pelo grande molusco (Luís Inácio da Silva - vulgo Lula) que não passa de um pulha atrás de conveniências (veja vídeo no link).
Pergunto: como pode um líder dar lugar a uma autarquia qualquer promover sua inferiorização? Como pode um líder deixar que lideres estrangeiros divulguem sua irritação sobre suas atitudes extremamente internas?
Enquanto não perdemos essa característica de "deixe fazer deixe passar" do PT (partido dos trabalhadores) que nada mais são que representantes oficiais de construtoras e banqueiros estaremos arruinados e sem rumo! Precisamos agora mais do que nunca de homens com espírito proudhoniano - políticos de verdade e não essas marionetes ou larápios de plantão!!! 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cabelo ao vento

Que passas... (?)
                    Ao luar;
Quais sinas... (?)
                    Hão aquietar;
Que mares... (?)
                   Há de singrar;
Dos amores!
                   Feliz, amainar;
Da sagacidade...
                   Intuspecta cor – relumar;
Do cabelo a brisa...
                   Sibilista olhar;
Por Febe semp’ terna
                   Há d' estar.


Vulnerant omnes, ultima necat

Esta inscrição (título) em Latim (como outras tantas) encerra um caráter excessivamente preciso sobre a vida ou sobre nossas ações e o modo como "não" percebemos o mundo.

Talvez possa induzir fracos pensarem que nada valha fazer porque a ordem de tudo é um fado... Mas o que pensam sobre tal frase os que não se importam com os demais?

Não percebem que caminhamos todos para um nada comum! Homicida não é somente aquele sujeito que tira a vida do outro, mas todos aqueles que impõem suas veleidades sobre os demais para vantagem pessoal.

Qual a diferença de falastrões, profetas, marqueteiros, palestrantes e políticos? Nenhuma...


Em equivalência não atentam para os ponteiros da vida e não entendem o significado dos dias em que "vulnerant omnes, ultima necat*. Que sim, algumas de suas verdades não valem um quinto do que lhe é dado. Que tantas outras que tornariam a vida de "muitos" melhor é deixada de lado... Porém cada um olha apenas para sua marcha como se fosse a mai…

Sartre: o filósofo do nada e da decisão.

Entre as frases mais conhecidas de Sartre está a que diz que “o homem está condenado a ser livre”. Para este filosofo só o egoísmo nos explica. Não o egoísmo de Adam Smith, mas talvez se aproximasse do egoísmo hobesiano não houvesse uma distinção clara entre indivíduo e Estado respectivamente.
É através de uma necessidade egoísta que temos a obrigação de escolher “ou não” (que também é uma escolha, isto é, escolho não escolher). É ai que nasce sua certeza de que existe liberdade na ação do homem independente do seu tipo de escolha: se ação ou inação. Segundo seu pensamento o poder da decisão não é determinado pelas circunstâncias. Se assim fosse teríamos de imaginar que um mundo perfeito deveria existir com circunstancias estritamente agradáveis e imutáveis. Isso é impossível por ser um antimundo, um mundo da ideia, um mundo ilusório. Sua crítica existencialista o obriga a defender a inexistência do divino sobre o homem. Pensamento este que o aproxima de Feuerbach no sentido de dizer que…